14 de dezembro de 2011

SÍNDROME DO CORPO DISMÓRFICO


DISMORFOFOBIA

INTRODUÇÃO
Etimologicamente a palavra provem da palavra grega dysmorfia, que significa fealdade da face.
A dismorfofobia tem sido estudada há décadas na Europa e Japão enquanto que nos Estados Unidos da América do Norte tem sido menos tratada.
O transtorno dismórfico corporal (TDC) se refere a preocupação excessiva por um defeito corporal mínimo o por defeitos corporais imaginários.
Hoje a obesidade não a mórbida isto é obesidade patológica mas aquela de Ter o corpo esbelto vem senso também um transtorno dismórfico corporal (TDC) ocasionando o quadro de anorexia que é a redução ou perda de apetite; patológico atingindo feições psiquiátricas.
O TDC ( Transtorno Dismórfico Corporal) foi introduzido no DSM-III com a denominação de Dismorfofobia e no CIE-10 inclui o TDC dentro dos transtornos hipocondríacos, sem fazer diferença das preocupações físicas das estéticas. O DSM-IV estabelece os critérios diagnósticos do TDC (Transtorno Dismórfico Corporal), com modificações relacionada com o DSM-III-R. Este último o descreve como um transtorno somatomorfico não delirante, numa pessoa com aparência normal. Ambas definições são modificadas pelo DSM-IV.
DIAGNÓSTICO DO TDC(Transtorno Dismórfico Corporal)
A - Preocupação por algum defeito imaginário do aspecto físico. Quando ha leves anomalias físicas, a preocupação do indivíduo é excessiva.
B - A preocupação provoca mal estar clinicamente significativo e a desintegração social, profissional ou de outras áreas importantes da atividade do indivíduo.
C - A preocupação não se explica de forma mais nítida pela presença de outro transtorno mental (por.exemplo a insatisfação com o tamanho e a silhueta corporal na anorexia nervosa.
COMO SURGE A HIPOCONDRIA NO TDC(Transtorno Dismórfico Corporal)
A hipocondria é a afecção mental em que há depressão e preocupação obsessiva com o próprio estado de saúde: o doente, por efeito de sensações subjetivas, julga-se preso a condições mórbidas na realidade inexistentes e passa a procurar, permanentemente, tratamentos que, além de descabidos, são muitas vezes perigosos (medicações, intervenções cirúrgicas, etc.:
No TDC(Transtorno Dismórfico Corporal):
A- Existe preocupação por medo de ter uma enfermidade grave baseada na má interpretação dos sintomas corporais.
B- Persiste apesar de uma avaliação médica adequada e de comentários que tranqüilizam o paciente.
C- A crença não é de tipo delirante e não se limita a preocupações sobre o aspecto físico.
D- Provoca uma alteração clínica significativa ou alteração das funções sociais, profissionais ou de outras áreas na atividade do indivíduo.
E- Deve ter uma duração mínima de 6 meses.
F- Não acontece durante o curso de um transtorno de ansiedade generalizada, transtorno obsesivo-compulsivo, transtorno de angustia, episódio depressivo ansiedade por separação ou outro transtorno somatomorfo.
QUEM ESTÁ SUJEITOS AO TDC (Transtorno Dismórfico Corporal)
Aparece em proporções iguais em homens e mulheres, sendo a idade de aparecimento a terceira década de vida, sendo a idade média de inicio os 17 anos. Alguns estudos demonstram que a clinicamente começa na adolescência, época em que o indivíduo está mais preocupado de sua autoimagem na vida social.
Existem dois picos: Um na adolescência no inicio da idade adulta e outro, somente em mulheres, durante a menopausa.
É um transtorno crônico, intensidade variável, com oscilações e altos e baixos dos sintomas
CAUSAS DO TDC(Transtorno Dismórfico Corporal)
Fatores biológicos. Com a fisiopatología da serotonina:. Os fármacos denominados inibidores da recaptação da serotonina são usados com êxito nos transtornos obsessivos compulsivos, e são úteis no TDC. (Transtorno Dismórfico Corporal) Existem áreas do cérebro que se vêm atuadas por esta medicação. A serotonina atua mantendo idéias e pensamentos sob controle.
Fatores psicológicos.: Indivíduos ansiosos, perfeccionistas, tristes, são mais susceptíveis de desenvolver este transtorno. A isto tem que se acrescentaras experiências vividas criando-se personalidades suscetíveis com baixa auto estima, insegurança introversão. dificuldade para as relaciones interpessoais, tipos esquizóides que são as pessoas de constituição mental em que se observa tendência à solidão, insociabilidade, introspeção e má adaptação à realidade exterior. ,tipos neuróticos que são pessoas com um de vários tipos de distúrbio emocional cuja característica principal é a ansiedade, e em que não se observam nem grandes distorções da realidade externa, nem desorganização da personalidade; nevrose,. obsessões., narcisismo pessoas com ; amor excessivo a si mesmo., pais críticos e severos e traumas infantis.
Fatores sociais e culturais.: São muitos os apelos publicitários nos meios de comunicação que propagam a compra de cremes, loções, aparelhos para tornar o corpo esbelto. Os defeitos que são objeto de preocupação são diferentes dependendo do país e cultura.
LOCALIZAÇÃO DO TDC(Transtorno Dismórfico Corporal)
A localização é variável podendo aparecer preocupações sobre as características faciais; pele: rugas, cicatrizes, acne, manchas, palidez, varizes vasculares, enrubescimento facial, arranhar a pele, ou ter obsessão- com cravos, provocando cicatrizes ao tentar arranca-lo, inclusive com gilete; excesso de pelos faciais, perda excessiva de cabelo, pelo demasiado fino. A tricolomanía(mania por pelos) é comum. tanto em homens como em mulheres. Tamanho do nariz, orelhas, forma da face. assimetria facial. sintomas orais, dor bucal, tumefação da língua, sensação de queimação nos lábios. sintomas venereológicos, fazem referência a mal estar peniano ou testicular. Em ocasiões aparece o antecedente de contato sexual com o conseqüente temor ao contagio de alguma enfermidade venérea. na mulher surgem problemas com a vulva que é a parte externa dos órgãos genitais femininos, que inclui grandes e pequenos lábios, vestíbulo vaginal, etc. Também se focalizam problemas de TDC(Transtorno Dismórfico Corporal) nos seios, nádegas, órgãos sexuais.
Estas pessoas recorrem ao médico clínico para solicitar ajuda sobre seus possíveis defeitos, assim como pedir indicações de dermatologistas e cirurgiões plásticos. Em torno de 2% a 7% dos pacientes que se dirigem a cirurgia plástica são portadores de TDC.
Dismorfia muscular e o Complexo de Adonis:
Os homens dedicados ao culturismo , assíduos freqüentadores de academias de ginástica e de halteres, amiúde se consideram fracos, apesar de ter uma musculatura mais desenvolvida que os demais indivíduos. Se tornam além de fanáticos pela prática de desenvolvimento muscular, praticantes de rígidos regimes alimentares, com suplementos dietéticos. Inclusive alguns tomam anabolizantes para ganhar massa muscular. O uso destes começam freqüentemente nas escolas. O uso de anabolizantes é problemático e causam problemas psiquiátricos a curto prazo, com condutas agressivas e maníacas, e a depressão. O médico e psicólogos deverão suspeitar abuso de esteróides ao olhar o corpo do paciente. Interfere com o normal funcionamento do adolescente e provoca um isolamento social. Alguns desistem de suas carreiras de advogado, médico, empresário etc pela necessidade de ter mais tempo para freqüentar a academia.
Alguns homens com o complexo de Adonis terminam preocupando-se com a gordura e começam a desenvolver problemas alimentares. A bulimia que é o distúrbio mental que predomina em mulheres e que começa, geralmente., na adolescência ou no início da fase adulta, caracterizando-se por episódios de ingestão de grande quantidade de alimento, que culminam com o aparecimento de dor abdominal, ou vômito provocado pelo próprio indivíduo, que, consciente de que o fenômeno é anormal, teme não ser capaz de detê-lo voluntariamente, e passa a experimentar autocondenação e depressão, com vômitos provocados e abuso de laxantes, sendo menos freqüente em homens do que em mulheres. Entretanto a voracidade para comer se dá igualmente nos dois sexos.
OUTROS TRANSTORNOS QUE GERAM O TDC
Preocupações fisiológicas pela imagem corporal; consomem menos tempo, não interferindo na vida do indivíduo. São menos intensas.
Transtorno de personalidade narcisista ou histriônico. No indivíduo histriônico que é a pessoa sem conteúdo e superficiais o desejo de perfeição da imagem corporal se baseia na obtenção de êxito com o sexo oposto.
A dismorfofobia, também denominada transtorno dismórfico corporal ou síndrome da distorção da imagem, é um transtorno psicológico caracterizado pela preocupação obsessiva com algum defeito inexistente ou mínimo na aparência física. O diagnóstico pode ser um desafio, pois na sociedade atual os sintomas são semelhantes a uma vaidade excessiva. Uso exagerado de cosméticos para disfarçar imperfeições, cuidados exagerados com os cabelos, dietas inconsequentes, bulimia, anorexia, exercícios exagerados, uso de roupas que escondem o corpo são algumas das características destes pacientes.
Sua causa é bastante discutível. Pode ser gerada por uma baixa auto-estima, pode ser decorrente de uma infância deficiente de carinho e de aprovação levando a uma autocrítica destrutiva ( reflexo de crítica excessiva dos pais), de sentimentos de abandono, ou mesmo por causas orgânicas, agravados pela grande exibição de figuras humanas padronizadas pelos meios de comunicação.
Algumas formas de dismorfofobia consistem em : valorização excessiva de cicatrizes e marcas mínimas e praticamente imperceptíveis ( a pessoa se sente deformada, sente que a lesão é vista por todos e que ela atrapalha sua vida, como consequencia evitando sair de casa, ou abusando de maquiagens corretivas) , procura doentia por tratamentos estéticos como cirurgias plásticas, ideação irreal de envelhecimento(uma mulher de 40 anos, por exemplo, que se considera tão enrugada e envelhecida como uma de 90).
A característica principal da dismorfofobia é que a opinião do paciente a respeito de sua própria aparência não é compartilhada pela opinião geral do meio em que vive. No entanto, o paciente não enxerga que ele é absolutamente normal, e insiste em sua ideação de inadequação física, resistente a argumentações.
Entre estes pacientes, figuram os principais responsáveis pela procura de cirurgiões plásticos e de dermatologistas para tratamentos estéticos, que acabam não ficando satisfeitos com tratamento algum ( uma vez que o problema está em sua própria auto-aceitação, e não no tratamento).
O tratamento é bastante difícil, pois grande parte dos pacientes não se aceita portador deste diagnóstico. A maioria justifica-se como sendo "vaidosa" e classifica-se positivamente quanto a cuidar da aparência. No entanto, para o paciente, a dismorfofobia é fonte de grande sofrimento e angústia com sua aparência própria. O tratamento consiste em psicoterapia, longa e trabalhosa, e muitas vezes é necessário o uso de medicamentos para apoio dos sentimentos depressivos que acompanham o quadro.






Mais do que nunca, é melhor que Paul Stanley, do Kiss, só saia de casa com a máscara que usou durante décadas nos shows da banda. (Foto: Divulgação/Chron.com )
Essa ai deu o que falar com sua esquizofrenia de celebridade sem noção raspou todos cabelos loiros da cabeça

Polícia fecha fábrica de cosméticos clandestina que deixou mulheres carecas no DF


Produtos tinham concentração de formol quase 200% maior do que o permitido.

Ceilândia (DF) – A polícia fechou na tarde de quinta-feira uma fábrica clandestina de cosméticos que funcionava em Ceilândia, cidade-satélite do Distrito Federal. As autoridades chegaram até a fábrica pela denúncia de duas mulheres, que perderam os cabelos após fazerem uma escova progressiva com o produto fabricado na falsa indústria.
No local, foram apreendidos 60 litros de formol, cremes, xampus, embalagens


Travesti morre ao injetar silicone


industrial no próprio corpo em Campinas

Homem de 31 anos teve febre alta e sangramento no domingo (29).
Produto aplicado nas nádegas é o mesmo usado em carros.
Do G1, em São Paulo, com informações da EPTV

Travesti passou mal no apartamento dele, em Campinas, e foi socorrido (Foto: Agência Anhangüera)

Um travesti de 31 anos morreu neste domingo (29) em Campinas, a 93 km de São Paulo, após injetar silicone industrial no próprio corpo. É o segundo caso neste ano de morte de travesti após aplicação de silicone não medicinal.

O silicone industrial serve para limpeza de carros e impermeabilização de azulejos. O produto é mais barato e diferente do que os médicos usam em implantes legalizados.

De acordo com o Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, José Raimundo Bezerra Pinheiro, conhecido como Érica, passou mal após ter aplicado o produto nas nádegas na segunda-feira (23). O paciente havia chegado hospital com quadro clínico grave e características de uma infecção generalizada: febre alta, falta de ar e sangramento gástrico muito intenso. Ele não suportou as complicações e morreu.

Ainda neste ano, um travesti de 25 anos de Franca, a 400 km de São Paulo, também morreu ao aplicar silicone industrial. Ele o injetou nos glúteos e nas coxas, mas teve infecção generalizada e parada cardíaca.


'É melhor ter peitão do que depressão',



diz brasileira com 4,8 litros de silicone

A modelo brasileira Sheyla Hershey, que diz ser atualmente a recordista com os maiores implantes de silicone do mundo, aumentou neste mês suas próteses para 4,8 litros em cada seio.
Em entrevista ao G1 (veja vídeo ao lado), ela mostra o resultado da operação, admite ser viciada em cirurgias plásticas e diz que não se incomoda com críticas. "Ninguém é obrigado a ficar do jeito que as pessoas querem. Quanto mais criticam, mais as próteses crescem. Quanto mais esses nenéns [os seios] crescem, mais eu fico feliz", disse.
Sheyla chegou a ter próteses com 5,5 litros em 2009, mas acabou retirando-as quando engravidou da filha, hoje com dois anos. Depois do parto, ela fez novos implantes, de 3,5 litros, mas acabou sofrendo uma infecção bacteriana que a deixou em risco de morte.
À época, ela afirmou que "não queria saber de novas operações", mas voltou atrás e aumentou ainda mais os seios em uma cirurgia há duas semanas, realizada em Cancún, no México. "Depois do tratamento, que fiquei bem, eu tive depressão. Então é melhor ter o peitão do que depressão. Depressão arrasa, acaba com a gente. Então decidi, falei 'se o que me deixa feliz são os seios, vou voltar'", disse.
As próteses especiais de 4,2 litros foram implantadas com válvulas que permitem injetar uma solução salina para que cresçam ainda mais. No domingo (23), Sheyla passou pelo procedimento e atingiu a marca de 4,8 litros em cada seio, mas o médico acabou retirando as válvulas em seguida, após ela se queixar de fortes dores.
Sheyla está no Espírito Santo ainda se recuperando após a cirurgia, mas segue com a filha pequena na semana que vem de volta para casa, onde tem outro filho mais velho. Além dos implantes, a modelo que mora desde 2002 em Houston, no Texas, se submeteu ainda a uma plástica nas pálpebras e a uma lipoaspiração durante a passagem pelo México.
Durante a entrevista, ela disse achar que é viciada em cirurgia plástica. "Eu gosto de aumentar o peito, eu gosto de mexer em tudo", disse. "Adoro fazer lipo. Falou em cortar, que é cirúrgico, eu adoro. Não vai falar que não sou viciada, que eu sou. Só que eu tenho limite, sei quando parar, mas que eu gosto, eu gosto."
Guinness
A marca de maiores implantes do mundo que aparece no site do Guinness ainda data de 2005, referente à americana Maxi Mounds, que à época tinha implantes com mais de 3 litros em cada seio.

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Google+ Followers

Translate

Visualizações de página!!

Visitantes

free counters